fbpx
Esportes

Russell recebe pontos positivos do desempenho da Mercedes, apesar de terminar em P4

Compartilhar

George Russell terminou em quarto no GP da Cidade do México no domingo – e embora tenha ficado desapontado por sair do pódio, ele elogiou muito o progresso que sua equipe fez, com uma de suas exibições mais convincentes este ano.

Russell e seu companheiro de equipe Lewis Hamilton largaram com os médios, enquanto os dois Red Bulls de Max Verstappen e Sergio Perez estavam com os macios. Infelizmente para Russell, ele perdeu nas primeiras trocas para Hamilton e Perez, deixando-o em quarto na volta 1.

Os dois Mercedes então mudaram para os duros – enquanto a dupla da Red Bull foi para os médios – com a ideia de ganhar posição na pista assim que seus rivais fizessem uma segunda parada. No entanto, Verstappen e Perez fizeram os médios durarem até o final, forçando Russell a se contentar com um quarto “frustrante”.

Falando após a corrida, Russell disse: “Sim, foi um pouco frustrante [perder o pódio]. Fiz uma boa largada, mas Lewis estava lá por dentro e provavelmente fui um pouco cauteloso demais lá [com] meu companheiro de equipe. Em última análise, isso provavelmente me custou duas posições hoje porque eu teria acabado em segundo e as coisas teriam sido diferentes talvez”.

“Mas, no entanto, estou muito feliz por estarmos progredindo muito como equipe. Especialmente quando você olha para isso em comparação com a Ferrari, [é] realmente impressionante [o] desempenho que estamos trazendo semana após semana”.

Ele acrescentou: “A Red Bull ainda está em uma liga própria, crédito para eles”.

Russell foi ouvido no rádio no primeiro stint implorando a sua equipe para estender seu tempo nos médios na esperança de mudar para os pneus macios mais rápidos no final. Mas após a corrida, ele admitiu que o plano pode não ter sido a melhor ideia, acreditando que a estratégia soft-médio da Red Bull era a melhor opção”.

“Em retrospectiva, começar nos macios e ir para os médios foi a coisa certa a fazer. Começar com os médios e ir para os macios foi um pouco mais difícil porque o meu médio já estava bastante danificado desde as primeiras voltas”.

“Precisamos entender por que a Ferrari e a Red Bull optaram por começar com os macios e não achamos que era a coisa certa a fazer. Como eu disse, estou muito satisfeito com o progresso que estamos fazendo”.

Fonte: Fórmula 1


Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Translate »
Brasil 200 anos Brasil luta pela liberdade Séries Netflix tem mais de 1 bilhão de horas assistidas Emancipation – Uma História de Liberdade Wandinha Episódios