Economia

Ibovespa fecha em alta impulsionado por ações da Petrobras

Compartilhar

Índice da bolsa brasileira supera os 115 mil pontos, enquanto moeda americana registra oscilações em dia de baixa liquidez.

Em mais um dia positivo para o mercado financeiro, o Ibovespa, principal termômetro da bolsa brasileira, encerrou esta quarta-feira (07) em alta. O índice superou a marca dos 115 mil pontos, fechando em 115.489, com uma valorização de 0,77%. O desempenho positivo foi impulsionado principalmente pelas ações da Petrobras (PETR3; PETR4), que registraram ganhos significativos. As ações ordinárias (PETR3) subiram 3,11%, enquanto as preferenciais (PETR4) tiveram uma alta de 2,91%.

Entre as ações que apresentaram maiores rentabilidades durante o dia, destacam-se a Eneva (ENEV3), com uma valorização de 4,57%, seguida pela Yduqs (YDUQ3), que subiu 3,91%, e pelo Carrefour (CRFB3), com ganhos de 3,46%. Por outro lado, algumas ações registraram baixas, como o IRB (IRBR3), que teve uma queda de 6,24%, a Azul (AZUL4), com uma desvalorização de 3,52%, e a CSN Mineração (CMIN3), que apresentou uma baixa de 3,35%.

No cenário externo, as bolsas estrangeiras tiveram desempenhos distintos. Enquanto o Dow Jones teve um ganho de 0,27%, o Nasdaq registrou uma queda de 1,29% e o S&P 500 apresentou uma baixa de 0,38%.

Dólar oscila em dia de baixa liquidez

Em um dia marcado por baixa liquidez, o dólar à vista interrompeu a sequência de quatro sessões de queda e encerrou a quarta-feira com uma leve alta em relação ao real. As cotações da moeda americana reagiram tanto ao mercado externo quanto a barreiras técnicas, enquanto os investidores buscavam proteção antes do feriado.

O dólar à vista fechou o dia cotado a R$ 4,9244 na venda, registrando uma valorização de 0,26%. Na B3, o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento teve um aumento de 0,18%, sendo negociado a R$ 4,9465 às 17h15 (horário de Brasília).

Durante o dia, o dólar alternou altas e baixas, porém sempre dentro de margens estreitas, indicando uma falta de direção clara. A moeda norte-americana teve uma oscilação de apenas 0,65% entre a mínima e a máxima registradas ao longo do dia.

IPCA fica abaixo do esperado, mas dólar reage pouco

Pela manhã, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que veio abaixo do esperado, animando o mercado. O IPCA, considerado a inflação oficial do Brasil, fechou o mês de maio com uma alta de 0,23%, desacelerando em relação aos 0,61% registrados em abril.

Apesar disso, no segmento cambial, o anúncio de uma inflação menor teve pouco impacto durante o dia. No entanto, profissionais do mercado afirmam que a atual dinâmica de juros pode influenciar as cotações do dólar no futuro.

O fluxo cambial total em maio foi negativo em 1,505 bilhão de dólares, de acordo com o Banco Central. No entanto, no acumulado do ano, o fluxo segue amplamente favorável ao país, com entradas de 12,780 bilhões de dólares.

Com o feriado de Corpus Christi nesta quinta-feira (8) e um pregão de liquidez reduzida previsto para sexta-feira, alguns participantes do mercado optaram por posições compradas em dólar como proteção até a próxima segunda-feira.

No cenário internacional, o dólar manteve-se próximo à estabilidade em relação às moedas fortes.

Print Friendly, PDF & Email

Joabson João

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Translate »
Top week 37 Comité Militar da OTAN de 15 a 17 de setembro de 2023 Top week 36 Top week 35 Top week 34 O desmantelar da democracia Filosofia – Parte I Brasil 200 anos Séries Netflix tem mais de 1 bilhão de horas assistidas Emancipation – Uma História de Liberdade