fbpx
Esportes

Tite elogia ousadia ofensiva e fala sobre Weverton e ‘Dança do Pombo’

Compartilhar

Treinador brasileiro explica decisões durante partida contra Coreia do Sul, que garantiu classificação para as quartas de final.

O técnico Tite demonstrou toda sua felicidade com a Seleção Brasileira após a classificação para as quartas de final da Copa do Mundo do Qatar. Em coletiva de imprensa, o treinador elogiou a atuação do time contra a Coreia do Sul, agradeceu pela possibilidade de colocar Weverton no jogo e explicou sobre a tentativa tímida de fazer a ‘Dança do Pombo’, após o gol de Richarlison, o terceiro do Brasil na vitória por 4 a 1 no Estádio 974, em Doha, na noite desta segunda-feira (5). 

Tite exaltou o primeiro tempo da equipe e o comportamento ofensivo, que definiu como a característica mais marcante dessa Seleção: “Essa ousadia ofensiva da equipe, uma verticalidade impressionante, é da geração de jogadores. Também pontuo o equilíbrio do time, eles sabem da importância de serem equilibrados, e o orgulho de defender também, de cuidar quando está sem a bola, a recuperação rápida, o comportamento defensivo”, comentou o treinador. 

A Seleção foi a primeiro time a fazer quatro gols em um mesmo tempo nesta Copa. O desempenho agradou Tite, que ressaltou a importância de serem sempre efetivos. 

“Temos que criar, mas também fazer”, destacou. 

A Seleção Brasileira também foi a primeira a utilizar todos os 26 jogadores convocados para a competição. A entrada do goleiro Weverton na segunda etapa foi  comemorada por Tite.

“Felicidade nossa de poder oportunizar o Weverton. É difícil conseguir isso (substituição de goleiro), mas hoje foi possível”.

O assunto que não poderia ficar de fora da coletiva foi a dança tímida de Tite com os jogadores após o terceiro gol de Richarlison. O treinador rechaçou qualquer tipo de polêmica e disse não caber outra interpretação que não seja a do cumprimento de uma promessa informal com os jogadores. 

“A gente tenta se adaptar às características dos atletas. Eles são jovens, tenho me aproximar da linguagem deles. Um dia estávamos brincando com Richarlison, falei: ‘se fizer gol, eu vou fazer’. Sempre tem os maldosos que vão entender como desrespeito. Eu falei para os atletas me esconderem um pouco, sei da visibilidade. Não queria que tivesse outra interpretação a não ser pela alegria do gol, do resultado, do desempenho, mas não desrespeito pelo adversário ou ao Paulo Bento, que tenho respeito muito grande”, explicou Tite. 

Fonte: CBF


Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Translate »
Brasil 200 anos Brasil luta pela liberdade Séries Netflix tem mais de 1 bilhão de horas assistidas Emancipation – Uma História de Liberdade Wandinha Episódios