fbpx
Esportes

Red Bull admite que “cometeu alguns erros” no Brasil em relação às ordens de equipe

Compartilhar

A Red Bull divulgou um comunicado dizendo que “cometeu alguns erros no Brasil”, referindo-se ao incidente em que Max Verstappen optou por não devolver o sexto lugar para seu companheiro de equipe, Sergio Perez nos momentos finais da corrida.

Perez perdeu posições com pneus médios e cedeu o P6 para Verstappen em uma tentativa de tirar o P5 de Fernando Alonso. Ao ser solicitado a retornar ao local após uma tentativa frustrada de ultrapassagem no Alpine, Verstappen não obedeceu.

Isso significou que Perez chega ao GP de Abu Dhabi deste fim de semana empatado com Charles Leclerc, da Ferrari, em vez de dois pontos à frente.

Verstappen e Perez discutiram o incidente com a equipe momentos após a corrida, com o chefe da Red Bull, Christian Horner, reiterando os comentários de Verstappen de que o campeão mundial “apoiaria totalmente” a oferta de Perez pelo segundo lugar em Abu Dhabi.

Na quinta-feira, em Abu Dhabi, a Red Bull divulgou um comunicado explicando como os eventos se desenrolaram em relação ao pedido feito a Verstappen e depois.

“Como equipe cometemos alguns erros no Brasil. Não previmos a situação que se desenrolou na última volta e não havíamos acordado uma estratégia para tal cenário antes da corrida”, disseram.

“Infelizmente, Max só foi informado no momento final do pedido para desistir da posição sem que todas as informações necessárias fossem repassadas. Isso colocou Max, que sempre foi um jogador de equipe aberto e justo, em uma situação comprometedora com pouco tempo para reagir, o que não era nossa intenção”.

“Após a corrida, Max falou aberta e honestamente, permitindo que ambos os pilotos resolvessem quaisquer problemas ou preocupações pendentes. A equipe aceita o raciocínio de Max, a conversa foi um assunto pessoal que permanecerá privado entre a equipe e nenhum outro comentário será feito”.

“Os eventos que se seguiram do ponto de vista da mídia social são completamente inaceitáveis”, continuou o comunicado. “O comportamento online abusivo em relação a Max, Checo, a equipe e suas respectivas famílias é chocante e triste e, infelizmente, é algo que nós, como esporte, estamos enfrentando com uma regularidade deprimente”.

“Não há lugar para isso nas corridas ou na sociedade como um todo e precisamos fazer e ser melhores. No final das contas, isso é um esporte, estamos aqui para correr. Ameaças de morte, cartas de ódio, vitríolos contra membros da família são deploráveis. Valorizamos a inclusão e queremos um espaço seguro para que todos possam trabalhar e desfrutar do nosso esporte. O abuso precisa parar”.

Fonte: Fórmula 1


Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Translate »
Brasil 200 anos Brasil luta pela liberdade Séries Netflix tem mais de 1 bilhão de horas assistidas Emancipation – Uma História de Liberdade Wandinha Episódios