News

Candidatura portuguesa ao Conselho de Segurança da ONU com “expectativa muito positiva”

Compartilhar

O Ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, tem encontrado «uma expectativa muito positiva» relativamente à candidatura portuguesa a um lugar não-permanente no Conselho de Segurança da #ONU em 2027-2028 nos contactos que tem desenvolvido com homólogos de outros países, em Nova Iorque, onde acompanha o Primeiro-Ministro António Costa na Assembleia Geral das Nações Unidas.

O Ministro reuniu-se com colegas do Gana, da Gâmbia, de São Vicente e Granadinas, do Egito e da República Centro-Africana, entre outros países, e irá prosseguir as reuniões bilaterais durante toda a semana.

Numa declaração à agência Lusa e à Antena 1, João Gomes Cravinho disse que “o que posso concluir destas primeiras conversas é que há uma expectativa muito positiva, porque olham para #Portugal como um construtor de pontes, um país que sabe dialogar com países muito diversos, de diferentes partes do mundo”.

Esta semana da Assembleia Geral da #ONU “é uma oportunidade para contactar com países com experiências muito diversas” e para “compreender o que são, para esses países, muito diferentes, de diferentes partes do mundo, os grandes problemas internacionais com que se confrontam”.

Gomes Cravinho deu como exemplo a invasão da Ucrânia pela Federação Russa, uma guerra que tem consequências económicas globais, mas que “não é, necessariamente, a questão mais importante para países em outras partes do mundo”.

“Uma parte muito importante do diálogo com esses países é procurar identificar maneiras de desenvolvermos uma abordagem comum”, acrescentou.

O Conselho de Segurança, criado para manter a paz e a segurança internacionais em conformidade com os princípios das Nações Unidas, é um órgão com cinco membros permanentes, com direito de veto: Estados Unidos, Federação Russa, França, Reino Unido e República Popular da China.

Todos os anos, a Assembleia Geral elege cinco de um total de dez membros não-permanentes, que, nos termos de uma resolução da #ONU, são distribuídos da seguinte forma: cinco africanos e asiáticos, um da Europa de Leste, dois da América Latina, dois da Europa Ocidental e outros Estados.

Fonte: Governo de #Portugal


Seu apoio é importante, tornando-se um assinante você está contribuindo para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio! Duna Press Jornal e Magazine, mídia livre e independente trabalhando a informação com ética e respeito ao leitor. Notícias, oportunidades e negócios, seu portal nórdico em português.

Assinatura Anual
Assinatura Anual

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
LANGUAGE

Descubra mais sobre Duna Press

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue lendo

Top week 38 Top week 37 Comité Militar da OTAN de 15 a 17 de setembro de 2023 Top week 36 Top week 35 Top week 34 O desmantelar da democracia Filosofia – Parte I Brasil 200 anos Séries Netflix tem mais de 1 bilhão de horas assistidas