News

Mulher é incendiada viva pelo marido no norte do Iraque

Compartilhar

Um homem teria incendiado sua esposa em As-Sulaymaniyah depois de derramar gasolina sobre ela devido a uma disputa doméstica, disse um membro da família a jornal Rudaw no domingo. O trágico incidente ocorre menos de uma semana depois que a região do Curdistão registrou seu quinto feminicídio neste mês.

Shnyar Hunar, 21, mãe de dois filhos, teria sido queimada pelo marido no início do sábado. Ela está atualmente em estado crítico, pois 85% de seu corpo foi gravemente queimado.

A mãe de Hunar descreveu que o rosto e o corpo inteiro da filha, com exceção das pernas, sofreram queimaduras. 

Hunar acusou o marido de ateá-la em chamas depois que ele a espancou após uma disputa entre o casal.

“Ele me bateu muito… ele bateu minha cabeça no chão, e começou a me bater com um limpador. Após o espancamento, ele derramou gasolina em mim e me queimou”, disse Hunar à mãe sobre os detalhes do incidente.

O marido, cujo nome e identidade não foram divulgados ao público, foi preso, segundo a mãe da vítima.

O porta-voz da polícia de As-Sulaymaniyah, Sarkawt Ahmad, disse a Rudaw que está investigando o caso depois de confirmar a prisão do suspeito. 

Em seu depoimento à polícia, Hunar disse que seu “marido tirou gasolina do aquecedor e derramou em mim, depois me incendiou e fugiu”, segundo o policial.  

A região do Curdistão sofre com altas taxas de violência de gênero, incluindo violência sexual, violência doméstica, crimes de honra, casamentos infantis e mutilação genital feminina.

O Governo Regional do Curdistão (KRG) em 2011 aprovou a Lei de Combate à Violência Doméstica, criminalizando a violência doméstica e equipando a direção para combater a violência investigando-a, mas a prática os abusos domésticos ainda são vistos em toda a região.

Vinte e quatro mulheres foram mortas na região no ano passado, segundo estatísticas da Direção de Combate à Violência contra a Mulher. O incidente recente ocorre quatro dias depois que Maryam Yacoob foi morta a tiros pelo marido também em As-Sulaymaniyah, supostamente depois de pedir o divórcio a ele.

Com informações de Rudaw Media Network


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Fernanda da Silva Flores

Fernanda da Silva Flores é graduada em História pela UNOPAR (2018) e possuí pós-graduação em Gestão e Organização da Escola com Ênfase em Supervisão Escolar (2019) também pela UNOPAR. Fundou o site Rainhas na História em setembro de 2016. Reside em Itajaí, Santa Catarina, Brasil.
Botão Voltar ao topo
Translate »
Filosofia – Parte I Brasil 200 anos Séries Netflix tem mais de 1 bilhão de horas assistidas Emancipation – Uma História de Liberdade Wandinha Episódios